Post Type

TERESINHA RIBEIRO trocou 13 anos de vida religiosa no Convento Carmelo para fazer o bem mais de perto. Assim, fundou o NAS (Núcleo de Ação Social ) em Barão Geraldo –entidade referência no distrito no atendimento à famílias menos favorecidas

“Tudo vale a pena quando a alma não é pequena”

É na frase famosa de Fernando Pessoa de que  que a psicóloga e fundadora do NAS (Núcleo de Ação Social), Teresinha Pérpetua Ribeiro, de 49 anos, define seu trabalho filantrópico e sua saga de altruísmo e dedicação ao coletivo. Numa história ímpar e encantadora, ela trocou a vida de freira no convento Carmelo Santa Teresinha do Menino Jesus, em Campinas, pelo trabalho social. “Decidi fazer o bem mais de perto, de forma mais concreta”, conta.
Nascida em Poço Fundo-MG, mudou-se para Campinas aos 15 anos para se dedicar a vida religiosa. Deixou a família e uma adolescência tranqüila para viver 13 anos sob os votos de castidade, pobreza e obediência, consumando mais de uma década de juventude dedicada à uma rotina regrada, numa constante corrente de orações. Um tempo memorável, rico e terno, segundo ela. “Gostei muito, foi um dos melhores períodos da minha vida, conquistei muitos amigos, conhecimento, cultura, garra”, frisa.
Mas o espírito inquieto a levou a travar novos caminhos. Assim, com ´fé em Deus e pé na táboa’, desbravou a vida cotidiana. Um desafio e tanto. “Foi um choque de realidades, até hoje me assusto com as maldades e mentiras do ser humano”, afirma.

“Sair do convento para viver o cotidiano foi um choque de realidades.  Até hoje me assusto com as maldades e mentiras do ser humano”

Ao sair do convento,  em 1991, Teresinha foi morar com a irmã, em Campinas. Logo, entrou na faculdade de psicologia e, cinco anos depois, fundou a instituição que sonhava: o NAS. Sua filosofia de que a estrutura familiar é a base para uma sociedade justa e equilibrada moveu os 15 anos de existência da entidade, num crescimento quase assustador. “Barão tem bastante demanda e, ao mesmo tempo, crescemos por ter tido apoio de muitas pessoas, voluntários, diretores”, explica. “Não é um trabalho só meu, é de muita gente junta. Mas sei que, acima de tudo, é uma obra divina. É Deus que nos encoraja, pois não é fácil”. Teresinha é enfática: “hoje, ajudar não é tão fácil como dez anos atrás. As pessoas estão cada vez mais desconfiadas em vista de tantas falcatruas no mundo. Portanto, precisamos de doses dobradas de crença e  força”. Mesmo sob prismas desanimadores seu lado humano reage. “O bem vale a pena sim, sempre”.

TRABALHO E VIDA
Há 1 ano Teresinha é vice-presidente da entidade que criou. Para ela, é um momento de deixar novas pessoas e ideias permearem o NAS. A atual presidente, Maria Tereza Bertolo, esta no comando e conta com todo apoio de Teresinha. “Nos próximos anos quero viajar um pouco mais”, diz. Viagens estão entre seus hobbies. A leitura também.  Como psicóloga, atende em seu consultório, também em Barão. Solteira e sem filhos, Teresinha enxergou na doação e na preocupação com o outro seu melhor modo de amar a vida, a Deus e ao mundo.

“O NAS Não é um trabalho só meu, é de muita gente junta. Mas sei que, acima de tudo, é uma obra divina. É Deus que nos encoraja, pois não é fácil”

FAÇA O BEM VOCÊ TAMBÉM! CONHEÇA MAIS O NAS: www.nas.org.br
Rua Antonio Marcos Pensamento da Silva nº 371
Real Parque – Barão Geraldo – Fone: (019) 3289 3470 – E-mail: nas@nas.org.br

[nggallery id=6]