Post Type

Lagos azuis, cavernas profundas, cachoeiras espetaculares. Curta o melhor destino de ecoturismo do Brasil

Bonito é pouco. Essa linda cidade consegue reunir tantas maravilhas que fica difícil de escolher um adjetivo capaz de traduzir a sensação causada desde o primeiro olhar. Turistas do mundo todo fazem questão de conhecer suas cachoeiras, como a Boca da Onça, realizar os famosos passeios em suas grutas, como as Grutas do Lago Azul e do Mimoso e fazer flutuações e mergulhos nos rios Sucuri, do Peixe, Formoso e da Prata, além do ecoturismo no Aquário Natural e em diversos outros pontos turísticos.

Na Serra da Bodoquena, fronteira com o Pantanal, cachoeiras e lagos criam uma ambientação com apelo ecológico irresistível. Uma estrutura geológica, composta basicamente de rocha calcária, cavernas e grutas esculpidas ao longo do tempo, guardam em suas entranhas águas cristalinas, que convidam a deixar o corpo flutuar, observando o colorido dos peixes e da vegetação nativa. Tamanho atrativo leva, em média, 210 mil turistas por ano a Bonito e, o melhor, sem que isso represente um perigo para o delicado ecossistema. Um controle rígido garante um limite de visitantes por vez nas atrações e, por tabela, a preservação do lugar.

Bonito chama a atenção pelo que está sob o chão. Muitas grutas, de águas cristalinas, são ideais para a prática de mergulho e flutuação. É preciso, no entanto, tomar todas as precauções para a realização da prática. Caso você não tenha experiência, procure por agências que te ofereçam esse serviço de um modo seguro e sempre supervisionado.

A Gruta do Lago Azul é a mais conhecida. Tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), oferece uma visão incrível, através de suas águas cristalinas, que causam um efeito deslumbrante em azul. Possui 90 metros de profundidade e 120 de largura, e é formada por rochas calcárias, estalactites e estalagmites. O período ideal de visitação da gruta é entre dezembro e janeiro, quando a incidência do sol faz com que o azul da água se torne ainda mais intenso que o habitual. A idade estimada da gruta é de 10 milhões de anos, e existem em seu interior fósseis de animais pré-históricos.

Outra atividade que faz parte da preferência geral é a flutuação nos rios da região, que são absolutamente cristalinos e repletos de peixes. A correnteza é suave e, por isso, conduz os visitantes sem carregar junto a terra ou os sedimentos que ficam no fundo dos rios. A Lagoa Misteriosa e o Rio da Prata são os favoritos para a prática, que não exige mais do que uma máscara de snorkel para ser realizada.

Além do mergulho, as opções são variadas. Trilhas, passeios a cavalo, rapel, arvorismo, boia-cross, passeios de bote e muitos outros, todos eles oferecidos por agências da região ou mesmo pelos próprios hotéis. Os ingressos para a maioria desses passeios são vendidos apenas nas agências de turismo e os preços são tabelados. Como existe um limite para o número de visitantes em cada lugar, é recomendável que você monte a sua programação e compre suas entradas com antecedência.

Na hora de comer, é possível desfrutar de inúmeros restaurantes que oferecem a comida típica sul-mato-grossense, que tem como protagonista, os peixes, como o dourado e o pintado, sem esquecer, é claro, do sucesso da carne de jacaré criado em cativeiro. Para se hospedar, as opções são para todos os tipos de bolso. É recomendado para quem está de carro, se hospedar no centro da cidade, por questões de acessibilidade. A organização e a estrutura da cidade são diferenciais e mais um atrativo para o turista que quer ter uma experiência inesquecível!

[nggallery id=15]